Eliminando o gargalo da criação de relatórios na CCBCC


Quando alguém que vive no sudeste dos EUA toma uma Coca gelada, isso provavelmente foi possível graças à Coca-Cola Bottling Company (CCBCC). Localizada em Charlotte, no estado norte-americano da Carolina do Norte, a CCBCC atende a 12 estados e é a maior empresa independente de envasamento de Coca-Cola dos Estados Unidos.

Antes do Tableau:

  • Os painéis ofereciam uma visão atualizada uma vez por mês – um processo que exigia mais de 1.000 etapas
  • O departamento de TI e os funcionários da empresa tinham dificuldade para entender as necessidades uns dos outros
  • As equipes de vendas de campo e os executivos precisavam estar no escritório para ter acesso aos relatórios com os dados mais recentes
  • As perdas devido ao encolhimento, que geravam prejuízos de milhões de dólares, eram um problema difícil de resolver

Agora com o Tableau:

  • Os painéis são atualizados diariamente, com um único clique
  • O departamento de TI e os funcionários da empresa trabalham juntos em uma parceria recompensadora
  • Mais de 800 funcionários acessam painéis regularmente em dispositivos móveis
  • A equipe tem mais capacidade de monitorar e combater o encolhimento

No vídeo 1, os membros da equipe de business intelligence da CCBCC explicam como sair do modo “fábrica de relatórios” lhes permitiu analisar de verdade seus dados. No vídeo 2, o arquiteto de dados empresariais da CCBCC comenta como o departamento de TI agora pode ser o herói da empresa em vez de uma fonte de frustração. Por último, no vídeo 3, o analista empresarial sênior da CCBCC conta como o Tableau está ajudando a melhorar as vendas em campo ao disponibilizar informações em dispositivos móveis.

Se preciso fazer a mesma coisa várias vezes de forma repetitiva, é impossível ter ideias originais. O Tableau nos permite inovar. Ele nos permite analisar os dados de uma forma totalmente diferente.

“Agora podemos ser analistas em vez de geradores de relatórios.”

Tableau: A empresa tem centenas de profissionais de vendas em campo. Como os dados são usados para ajudá-los a trabalhar de forma mais eficaz?

Shawn Crenshaw, analista empresarial sênior: Geramos a maioria dos relatórios de vendas e entregas, logo, tudo o que abrange as pessoas que vendem os produtos até as pessoas que entregam os produtos está incluído nesses relatórios.

Nós vamos do marketing ao mercado doméstico, que é essencialmente onde estão as grandes lojas como o Walmart, os bares, os mercados, nosso desempenho nesses lugares, até a entrega do produto em si.

Tudo varia de acordo com a perspectiva. Estamos falando de dados de eficiência? Ou seja, estamos entregando o produto na hora que prometemos? Ou estamos falando de rentabilidade? Temos um orçamento. Ele está sendo cumprido? Como está nosso desempenho dentro desse orçamento? E as previsões? Esse tipo de coisa.

Tableau: Como a mobilidade ajuda nisso?

Shawn: A mobilidade é essencial para a Coke Consolidated. Fazemos o possível para não prender nossa equipe de vendas ao escritório, pois somos responsáveis principalmente pela venda do produto. Além disso, estar no escritório analisando métricas e fazendo cálculos não é o trabalho dela. O trabalho dela é vender o produto.

Então, com isso em mente, os líderes tiveram a visão de dar mobilidade à nossa equipe de vendas. Isso incluiu a compra de iPads pessoais. Assim, para dar acesso aos dados de que a equipe precisa, temos que garantir que ela tenha um aplicativo ou um software que seja compatível com o iPad. É aí que o Tableau entra.

Agora, sempre que criamos relatórios ou painéis, fazemos isso tendo em mente o iPad e a mobilidade. Portanto, tudo que criamos precisa ser eficiente o bastante para que alguém possa acessá-lo com dois cliques e tomar uma decisão imediata.

Tableau: Isso deve ajudar muito a sua equipe de vendas em campo!

Shawn: Não apenas as pessoas que estão em campo, mas nossos executivos também. Eles estão sempre fora, visitando mercados e clientes. Assim, se tiverem alguma pergunta, em vez de terem que abrir uma planilha do Excel ou algum tipo de documento, eles pegam seu iPad, abrem um painel e encontram uma resposta imediatamente.

O Tableau nos possibilitou trabalhar dessa forma. Além de termos acessos a dados precisos, também podemos personalizá-los de acordo com a experiência do usuário para ajudá-lo a se adaptar aos dados, a recebê-los.

Tableau: Qual foi a reação do departamento de TI ao acesso de autoatendimento aos dados?
Bryan Franklin, arquiteto de dados empresariais: A equipe de TI adora quando alguém a procura e diz: “Estou com um problema e preciso da sua ajuda para resolvê-lo”.

Percebi um pouco de resistência do departamento de TI. Acredito que, principalmente, porque seus KPIs são diferentes dos da empresa. Seus KPIs estão relacionados à estabilidade – mas inovações e a liberdade que o autoatendimento oferece à empresa podem abalar essa estabilidade. Por isso, há uma certa resistência ou hesitação em deixar as pessoas explorarem à vontade, pois também é arriscado.

Quando isso acontece, todas as partes saem perdendo. A TI desperdiça seu tempo e a empresa não recebe o que precisa.

O que o conceito empresarial de autoatendimento oferece ao departamento de TI é a possibilidade de acabar com uma mentalidade “solicitante/atendente”, em que o usuário precisa de algo no prazo X e o departamento de TI deve providenciar o que foi solicitado.

Há sempre o risco de a equipe de TI não gostar da ideia. Muitas vezes, é o que acontece. Isso provoca muita frustração.

Porém, quando é possível superar essa frustração e dizer “vamos ser parceiros”, o funcionário da empresa pode fazer o que sabe fazer e o funcionário da TI não precisa necessariamente saber os detalhes e pormenores dos negócios. Um funcionário pode procurar a equipe de TI e dizer: “Tenho esta consulta ou este conjunto de dados, preciso de ajuda”.

Tableau: Isso parece muito melhor para todos.
Bryan: É um casamento perfeito, em que um profissional de TI diz: “OK, posso ajudar você! Posso ajustar isso, reorganizar aquilo e juntos remodelaremos esses dados”. Eles estão dentro de sua zona de conforto e podem gerar essas informações.

E os funcionários da empresa podem dizer: “Muito obrigado! Você fez algo que demoraria 10 minutos levar 10 segundos. Você é demais!”

Acredito que esse tipo de colaboração, e essa capacidade de trabalhar em equipe, faça bem para o relacionamento entre o departamento de TI e os funcionários da empresa.

Falamos sobre a metodologia de cascata, sobre o SDLC padrão, ou seja, processos dos quais o departamento de TI tem amplo conhecimento. Eles eram muito lentos, principalmente na área de BI.

Então, quando você começa incorporar essa metodologia ágil e a entregar o produto com mais rapidez, o envolvimento e o entusiasmo da empresa aumentam.

Isso é o que os profissionais do departamento de TI desejam acima de tudo. Eles querem que alguém se entusiasme com a estrutura que eles estão montando. Quando você começa a gerar esse entusiasmo e a equipe de TI está incluída, ela diz: “Claro, mostrarei para eles com prazer!”.

Disponibilizando informações em dispositivos móveis

Tableau: A empresa tem centenas de profissionais de vendas em campo. Como os dados são usados para ajudá-los a trabalhar de forma mais eficaz?
Shawn Crenshaw, analista empresarial sênior: Geramos a maioria dos relatórios de vendas e entregas, logo, tudo o que abrange as pessoas que vendem os produtos até as pessoas que entregam os produtos está incluído nesses relatórios.

Nós vamos do marketing ao mercado doméstico, que é essencialmente onde estão as grandes lojas como o Walmart, os bares, os mercados, nosso desempenho nesses lugares, até a entrega do produto em si.

Tudo varia de acordo com a perspectiva. Estamos falando de dados de eficiência? Ou seja, estamos entregando o produto na hora que prometemos? Ou estamos falando de rentabilidade? Temos um orçamento. Ele está sendo cumprido? Como está nosso desempenho dentro desse orçamento? E as previsões? Esse tipo de coisa.

Tableau: Como a mobilidade ajuda nisso?
Shawn: A mobilidade é essencial para a Coke Consolidated. Fazemos o possível para não prender nossa equipe de vendas ao escritório, pois somos responsáveis principalmente pela venda do produto. Além disso, estar no escritório analisando métricas e fazendo cálculos não é o trabalho dela. O trabalho dela é vender o produto.

Então, com isso em mente, os líderes tiveram a visão de dar mobilidade à nossa equipe de vendas. Isso incluiu a compra de iPads pessoais. Assim, para dar acesso aos dados de que a equipe precisa, temos que garantir que ela tenha um aplicativo ou um software que seja compatível com o iPad. É aí que o Tableau entra.

Agora, sempre que criamos relatórios ou painéis, fazemos isso tendo em mente o iPad e a mobilidade. Portanto, tudo que criamos precisa ser eficiente o bastante para que alguém possa acessá-lo com dois cliques e tomar uma decisão imediata.

Tableau: Isso deve ajudar muito a sua equipe de vendas em campo!
Shawn: Não apenas as pessoas que estão em campo, mas nossos executivos também. Eles estão sempre fora, visitando mercados e clientes. Assim, se tiverem alguma pergunta, em vez de terem que abrir uma planilha do Excel ou algum tipo de documento, eles pegam seu iPad, abrem um painel e encontram uma resposta imediatamente.

O Tableau nos possibilitou trabalhar dessa forma. Além de termos acessos a dados precisos, também podemos personalizá-los de acordo com a experiência do usuário para ajudá-lo a se adaptar aos dados, a recebê-los.

Você também pode gostar de...