Domando a fera do business intelligence na Rede Bandeirantes


A Rede Bandeirantes, conhecida por seus telespectadores como Band, é uma emissora de televisão com sede em São Paulo, no Brasil. Parte do Grupo Bandeirantes de Comunicação, a Band foi fundada em 1967.

Nesses vídeos, Gabriel Queiroz, Diretor de Business Intelligence, e Alexandre Porto, Analista de Marketing, ambos da Band, falam sobre os benefícios de escolher uma ferramenta de business intelligence de autoatendimento e como eles estão usando o Tableau para aumentar a receita e economizar tempo.

Tableau: Qual é a vantagem de ter uma ferramenta de business intelligence de autoatendimento?
Gabriel Queiroz, Diretor de BI: Quem cuida dos negócios hoje são os próprios gestores. Eu não sou um profissional de tecnologia, né? Eu sou um profissional de negócios e de propaganda.

Então o self-service BI é isso. Mesmo eu não tendo conhecimento técnico de informática, hoje eu consigo montar visualizações poderosas pra apresentar aos executivos e também usar dentro do meu próprio departamento, enquanto o time de TI fica responsável pela manutenção do banco de dados.

"Ela entrega o poder da informação para todos na organização"

Tableau: Pessoas que não são profissionais de TI podem usar ferramentas de business intelligence de autoatendimento como o Tableau na Band?
Gabriel: Com o meu conhecimento de informática, hoje eu consigo montar visualizações poderosas pra apresentar aos executivos e também usar dentro do meu próprio departamento, enquanto o time de TI fica responsável pela manutenção do banco de dados.

Tableau: Como as pessoas reagem quando você mostras as visualizações do Tableau?
Alexandre Porto, Analista de Marketing: Você olha pra um gráfico e ele te diz—muito claramente—o que você tem que fazer, onde agir. No nosso caso, nos diz onde comercializar os espaços publicitários, quais agencias devemos priorizar.

Então, isso foi muito bem visto, porque pessoas que nunca trabalharam com número passaram a entender aquelas visualizações de uma maneira muito simples.

Tableau:Você pode dar um exemplo de como o Tableau está ajudando a Band a ter sucesso?
Gabriel: Hoje o Tableau consegue dar insights pra gente, por exemplo, do preço médio de comerciais por agência, por cliente.

Ele consegue informar clientes que estão anunciando mais em outras emissoras do que na Band, clientes que têm um potencial maior ou menor de faturamento, de onde nós estamos extraindo, realmente, o máximo da nossa equipe comercial. Então, com as visualizações do Tableau, nós conseguimos ter esse tipo de insight de uma maneira muito rápida.

Essa é uma das grandes vantagens da ferramenta, sem dúvida.

Tableau: Se você tivesse que indicar o maior benefício do Tableau na Band, qual seria?
Alexandre: O maior impacto que o Tableau teve, na minha opinião, no grupo Bandeirantes foi mostrar como era possível entender dados complexos de diferentes fontes de informação de uma forma muito simples.

O Tableau conseguiu mostrar que o BI não é um bicho de sete cabeças dentro de uma organização.

Gabriel: O Tableau conseguiu mostrar que o BI não é um bicho de sete cabeças dentro de uma organização.

Tableau: O Tableau foi a primeira solução de business intelligence da Band?
Gabriel: Bom, quando eu cheguei à Band há cinco meses já existia uma solução de BI de uma outra empresa. Essa solução já estava comprada, foi adquirida há cinco anos.

E, durante esses cinco anos, ela conseguiu entregar muito pouco para o nível de, vamos dizer, dos gestores da empresa.

E com o Tableau, nesses cincos meses, nós conseguimos fazer um trabalho muito maior do que nesses cinco anos da outra ferramenta.

Tableau: O Tableau está ajudando você a obter informações de seus dados com mais rapidez?
Alexandre: Eu acho que eu—se eu não tivesse o Tableau—eu, com certeza,
gastaria muito mais tempo e precisaria de muito mais pessoas ajudando pra entregar aquele trabalho.

Eu diria que análises, que provavelmente eu demoraria uma semana ... hoje em dia, eu consigo fazer em uma ou duas horas e ela já fica com uma visualização pronta, bem formatada,
você já pode mandar ou pro cliente ou pra quem pediu aquilo pra você.

Pessoalmente, eu acho que o maior impacto do Tableau veio na questão de quando eu ia pra uma apresentação pra responder, uma, duas, três perguntas, com o Tableau eu comecei a ir pra essas reuniões, eu respondia a primeira, a segunda, a terceira pergunta.

Fica muito mais fácil de você dialogar numa reunião.

Tableau: Você poderia falar um pouco sobre os dados que está visualizando no Tableau?
Gabriel: A praticidade do Tableau pra gente—além do fato de você montar as análises muito rapidamente—é a conectividade com diversos bancos de dados. E isso é muito importante.

O Tableau ajuda muito a gente com problemas relacionados a transformar um grande número de informações em visualizações, Tableau consegue trabalhar com bancos de dados pequenos,
médios e grandes, que é o nosso caso.

Na Bandeirantes, temos dois grandes núcleos de informação. Um de informações privadas, que são as informações que geramos, a informação interna de gestão. Aí temos os espaços de televisão, rádio, de todos os veículos, o faturamento por agência, por cliente. Muito ligado à área comercial. Então, a quantidade de informação é muito, muito grande.

Além disso, nós temos um outro tipo de database, que são informações que nós compramos, que são informações que medem a nossa performance de audiência ... então, muitas delas ligadas a institutos de pesquisa.

E o grande desafio é juntar essas duas informações numa única análise. O Tableau consegue fazer isso muito bem pra gente.

Tableau: O que você acha que outros profissionais no Brasil deveriam saber sobre a business intelligence e o Tableau?
Gabriel: Porque BI no Brasil ainda é uma coisa que não tá totalmente difundida, as empresas agora estão começando a olhar com mais detalhe pro BI.

Eu trabalho com o Tableau já há alguns anos, apesar desse meu começo na Bandeirantes agora, ela dá o poder, ela entrega o poder da informação para todos na organização.

Você também pode gostar de...