A Sager Creek Vegetable Company obtém informações úteis sobre a cadeia de suprimentos com o Tableau.


A Sager Creek Vegetable Company (Sager Creek) é uma divisão da Del Monte Foods, Inc. A empresa fabrica frutas e vegetais enlatados para muitas marcas conhecidas, como Popeye™ e Freshlike™.

Antes do Tableau:

  • Para obter informações do banco de dados era preciso executar operações complexas de combinação de dados em várias línguas
  • A empresa passou dois anos tentando se conectar aos dados de dois ambientes de produções enormes

Agora, com o Tableau e o Alteryx, a Creek pode:

  • Oferecer uma visualização desses ambientes em apenas oito horas
  • Fornecer aos tomadores de decisão a capacidade de identificar as áreas da empresa com o melhor desempenho e aquelas que precisam melhorar
  • Analisar milhões de linhas de dados
  • Entender e controlar seus processos diários
  • Fazer um planejamento com análises preditivas

Tableau: Quais metas vocês atingiram com o Tableau?
Matthew Hughes, gerente sênior de business intelligence: Tentamos contar uma história das ações de várias pessoas em um dado momento e identificar as decisões acertadas e o que poderíamos ter feito melhor.

Queremos entender qual comportamento causou um determinado resultado. E, no fim das costas, qual foi o resultado? Como nos saímos ontem em relação a hoje? E o que esperamos para amanhã?

No nível da transação, posso prever como se comportará um determinado ativo? Posso prever o desempenho desse ativo quando eu o atribuir a um funcionário específico? Posso prever o seu desempenho quando tal pessoa estiver encarregada dele neste turno?

Em apenas dois dias, acumulamos 20.000 linhas de dados transacionais. E poder disponibilizar isso para toda a empresa, com 300 pessoas e 100 ativos em três turnos, é fantástico. Fico muito empolgado só de pensar que podemos processar tudo isso e responder a essas perguntas.

Tableau: Como o Tableau inspirou seus funcionários?
Matthew: Conectamos dois sistemas de ambiente de produção enormes em apenas oito horas com poucos mil dólares três pessoas, e, de repente, podíamos fazer coisas que não conseguimos fazer por dois anos com uma equipe inteira de TI. É por isso que o Tableau é tão inspirador.

Tableau: Quais perguntas vocês conseguiram responder com o Tableau?
Matthew: A maioria delas está relacionada ao volume das transações. Se você consegue registrar as capacidades dos seus ativos e saber o que acontece historicamente quando altera determinados aspectos desses ativos, você está de fato dando poder a eles.

Mas então, você volta e diz: “E se nós combinarmos esses elementos com os horários de entrega das mercadorias, ou seja, todos esses vegetais que os caminhões trazem para a fábrica”. Quero dizer, o que acontece quando começamos a juntar as peças e perguntar: “Em termos de previsão, o que podemos fazer quando os horários são esses e nossos ativos estão operando desta forma?”

É esse tipo de informação que você pode oferecer a um gerente de fábrica ou a um executivo da diretoria e dizer: “Você tem controle total e absoluto sobre as informações relativas ao ambiente de trabalho”.

Conectamos dois sistemas de ambiente de produção enormes em apenas oito horas, e, de repente, podíamos fazer coisas que não conseguimos fazer por dois anos com uma equipe inteira de TI.

Tableau: Como foi a integração do Tableau na empresa?
Matthew: Enfrentamos muitas dificuldades por muito tempo. Foi só quando demonstramos que o Tableau era capaz de chegar ao nível do detalhe e fazer o caminho inverso até os processos de agregação e planejamento para uma empresa com capital de bilhões de dólares que eles pensaram: “Agora sim! É isso que queremos, é dessa forma que queremos contar nossa história, é assim que queremos saber mais sobre a nossa empresa”.

O Tableau é totalmente escalonável, independentemente do que você colocar nele, certo? Ou seja, sua visualização, que já contava uma ótima história, agora conta essa mesma história de uma forma que pode mudar a maneira de todos fazerem negócios. A empresa passa a ter uma vantagem competitiva

Você se sente um herói o tempo todo. As pessoas perguntam: “Como você fez isso?”. Eu apenas fiz. Não é difícil. Posso ensinar a você. E você faz amigos dessa forma, entende?

Parceria com o Alteryx para contar ótimas histórias com os dados

Tableau: Como você descreveria a união entre o Tableau e o Alteryx?
Matthew Hughes, gerente sênior de business intelligence: O Tableau faz o papel de grande comunicador, enquanto o Alteryx leva esse comunicador aonde ele precisa estar.

Tableau: Como você usa o Tableau para fazer descobertas?
Matthew: Os dados do ambiente de produção exigem agregações e combinações complexas de dados em vários idiomas em uma empresa.

Você pode contar ótimas histórias em cada setor, em todas as áreas com o Tableau, e nós fizemos isso. E o que o Tableau fez foi nos mostrar que há uma ótima história para contar aqui, e ela está lá no Tableau, mas vemos essa ótima história e não sabemos como as coisas funcionam em conjunto. E se usarmos o Tableau para refinar essa história?

Tableau: Como o Tableau e o Alteryx trabalham juntos para lidar com seus desafios de dados?
Matthew: Começamos com grandes blocos de dados. E contamos essas ótimas histórias, mas agora, pegamos o Alteryx e dizemos: “Vamos contar todas essas histórias de uma só vez”. É assim que operamos. E o Tableau mostra tudo de uma forma muito simples. Antes do Alteryx, utilizávamos sete sistemas que não se comunicavam, que processavam cubos com milhões de linhas, mas precisávamos reunir todos dados para contar uma história com esses diferentes blocos de informações.

Isso era confuso para nós. Tínhamos o Tableau e ótimas histórias. Eram muitas. Como transformá-las em uma única ótima história? O Alteryx nos ajudou com isso.

Tableau: Isso é incrível! O Tableau está afetando a vida pessoal dos funcionários da empresa?
Matthew: Poucas semanas atrás, nossa vice-presidente não podia aproveitar suas manhãs de domingo. Todos os domingos, ela passava quatro horas normalizando os dados do Excel em relatórios para obter as respostas de que precisava. Agora, ela não precisa mais fazer isso.

É tudo tão rápido! Você cria essa infraestrutura e ela praticamente se gerencia sozinha. Basta executar alguns simples comandos e pronto! Você já pode ter suas manhãs de domingo de volta. Isso é muito bom.

Realmente vamos mudar a forma como entendemos nossos processos de fabricação. O que tentamos fazer foi dizer: “OK, podemos lhe dar tudo isso, só precisamos criar uma cultura de capturar, combinar, compactar e contar a história com os dados”.

Você também pode gostar de...