O Decision Resources Group surpreende com painéis do Tableau


O Decision Resources Group (DRG) ajuda empresas farmacêuticas e de tecnologia médica a gerenciar e utilizar seus dados. O DRG é um parceiro OEM que incorpora o Tableau em seus produtos.

Antes de adotar o Tableau, a equipe do DRG estava procurando uma ferramenta que fosse flexível e fácil de usar, mas potente o bastante para atender às necessidades técnicas da empresa.

Neste vídeo, o diretor de dados (CDO), Brigham Hyde, conta como o Tableau ajudou o DRG a:

  • Gerar hipóteses rapidamente com análises estatísticas avançadas
  • Permitir que seus funcionários criassem painéis em 30 minutos
  • Transmitir ideias complexas com simplicidade para seus clientes

Extrair valor dos dados

Tableau: Quais são os desafios do seu trabalho?
Brigham Hyde, diretor de dados: Uma de nossas prioridades é encontrar maneiras de sempre fornecer informações valiosas para nossos clientes. Não basta fornecer os dados aos clientes e passar para eles a responsabilidade de extrair valor dos dados. Por isso, estamos constantemente buscando formas de responder às perguntas dos nossos clientes e desenvolver novas soluções para eles.

O Tableau nos permite fazer isso muito bem. Fazemos muitas prototipagens de ideias com nossos clientes no Tableau e personalizamos várias de nossas entregas usando a ferramenta.

Tableau: Fale um pouco mais sobre a empresa.
Brigham: O Decision Resources Group é uma empresa de fornecimento de informações para o setor de assistência médica. Fornecemos dados exclusivos e valiosos para grandes empresas farmacêuticas e de tecnologia médica, e também para o setor de ciências biológicas.

Também orientamos nossos clientes por meio de serviços ou de consultoria e fornecemos conteúdo para relatórios.

Tableau: O que levou vocês a adotar o Tableau?
Brigham: Primeiro, procuramos uma ferramenta que fosse boa o bastante para atender às nossas necessidades técnicas, que tivesse modelos quantitativos rigorosos e recursos estatísticos, mas que também permitisse explorar os dados livremente e criar diferentes hipóteses com rapidez. E, é claro, que fosse fácil de usar e implantar, com recursos que dessem um ar moderno à ferramenta, como o de arrastar e soltar.

Tableau: Você achou o Tableau fácil de usar?
Brigham: É muito rápido começar a usar o Tableau. A implantação também é muito rápida. Os analistas ficaram muito felizes quando isso aconteceu, e o Tableau ganhou imediatamente uma legião de fãs.

Tableau: Quais são alguns dos principais usos que a empresa faz do Tableau?
Brigham: Nossa empresa oferece produtos e, em alguns casos, precisamos usar o Tableau para criar esses produtos. O sistema de OEM do Tableau é excelente para isso. Sua escalabilidade e facilidade de uso permitem que você comece a usar a ferramenta sem precisar enfrentar tanta burocracia. E ainda tem o suporte, que ajuda você a expandir sempre que precisar, acompanhando o crescimento da sua demanda. O Tableau nos deu mais flexibilidade e nos ajudou a entender como devemos nos adaptar rapidamente e acompanhar o ritmo dos nossos usuários, que começaram a criar várias coisas com muita rapidez, logo depois de receberem suas licenças do Desktop.

Nossos clientes ficaram surpresos quando mostramos nosso painel, parecia que estavam admirando uma obra de arte. Podemos realmente comunicar ideias complexas com os painéis, sem falar no fator “uau”. Na maioria das vezes, a reação dos clientes é: “Como você fez isso?”

Qualquer pessoa pode criar um painel nos primeiros 30 minutos de uso, sem precisar ter conhecimentos de tecnologias complexas de banco de dados ou conhecer a fundo os dados de uma perspectiva de domínio.

O Tableau é “o preferido de todos”.

Tableau: Quais eram as necessidades de análise de dados dos funcionários do DRG?
Brigham: Os analistas que trabalham no setor de assistência médica, que é extremamente quantitativo, se concentram no seguinte: em ter a capacidade de fazer as análises avançadas que desejam, nos modelos de análise e nos pacotes estatísticos, mas eles também querem poder fazer experiências com os dados.

Tableau: E como você descreveria o impacto do Tableau?
Brigham: Eu diria que o Tableau começou a tirar o setor de saúde da Idade da Pedra. O setor de assistência médica enfrenta desafios de análise de dados diferentes de outros setores importantes: os dados eram armazenados em silos, historicamente e por regulamentação, mas agora precisamos combinar essas fontes de dados para resolver problemas complexos. Poder criar protótipos rapidamente, testar hipóteses e explorar os dados é tão importante quanto fazer as análises em si.

Gastamos muito tempo tentando prever o desempenho do tratamento para uma determinada doença e se um medicamento funcionará ou não.

O Tableau permitiu que eu colocasse esse poder nas mãos dos usuários. Você poder se concentrar em suas suspeitas e na qualidade delas na área médica, em vez de apenas lidar com números. Dedicar seu tempo a detalhes importantes desse tipo, em vez de apenas trabalhar com os dados indefinidamente, é muito mais produtivo.

Tableau: Como o Tableau se compara a outros programas e ferramentas?
Brigham: Na minha opinião, muitas ferramentas de banco de dados não têm esse fator de interatividade, que permite o surgimento de boas ideias. Para além disso, o recurso arrastar e soltar torna o Tableau muito moderno para o usuário. Isso é vantajoso não só na forma como trabalhamos, mas em relação às outras ferramentas de BI que experimentamos.

Tableau: O uso do Tableau se espalhou pela empresa?
Brigham: Foi algo muito natural. Tínhamos várias ferramentas de BI, mas não importava o que pedíssemos aos nossos funcionários, eles preferiam usar o Tableau. Quando algo assim acontece, você precisa ouvir às pessoas.

Tableau: O que torna o Tableau tão amigável para o usuário?
Brigham: Acho que o que faz as pessoas gostarem tanto do Tableau é o fato de você ver os benefícios dele imediatamente. Qualquer pessoa pode criar um painel nos primeiros 30 minutos de uso, sem precisar ter conhecimentos de tecnologias complexas de banco de dados ou conhecer a fundo os dados de uma perspectiva de domínio. Você se sente recompensado quando consegue criar o seu primeiro painel.

E acho que o Tableau veio para ficar porque ele é transparente; permite que as pessoas explorem e descubram as coisas sem precisar de ajuda. De certo modo, não é preciso muito treinamento, as pessoas conseguem aprender sozinhas, e eu acho que esses dois fatores tornam o Tableau muito prazeroso de usar.

Tableau: A comunicação com os clientes também influenciou na escolha?
Brigham: Sim. Como especialistas na área de assistência médica, mas precisando usar técnicas de modelagem avançadas com o Excel e outros programas de bancos de dados, buscamos uma forma melhor de comunicar nossos resultados aos clientes.

Você também pode gostar de...