Seis estratégias para fazer a transição para a nuvem


Visão geral | O que você aprenderá: 

Nos últimos anos, ouvimos muito sobre os benefícios (e todas as transformações) da nuvem. A esta altura, muitos de nós concordamos que as vantagens são amplas e convenientes. Digamos que você tenha finalmente aceitado que é o momento de migrar para a nuvem: qual é o próximo passo?

Primeiramente, é importante ressaltar que a migração para a nuvem não deve ser encarada em termos de “tudo ou nada”. Na realidade, a melhor estratégia geralmente é começar resolvendo um problema específico ou aproveitando uma boa oportunidade. As empresas que não “nasceram na nuvem”, ou seja, que estão há um pouco mais de tempo no mercado, precisam de um plano de transição para a nuvem. Quais são as abordagens que você deve adotar na nuvem? Quais sistemas descontinuará e migrará para a nuvem em uma nova versão? Quais sistemas já funcionam e sempre continuarão como estão? Você talvez nunca adote a nuvem a 100%, e isso não é problema.

Porém, para começar a usar a nuvem, é necessário ter um plano. Confira a seguir algumas estratégias de transição para a nuvem.

  • Entenda com clareza o problema a ser resolvido.
  • Aproveite a nuvem para repensar o jeito de fazer as coisas.
  • Seja tão flexível como a própria nuvem.
  • Planeje o crescimento.
  • Conquiste credibilidade comunicando suas ideias com clareza.
  • Capacite sua organização amplamente.

Também separamos as páginas iniciais do whitepaper para você ler. Baixe o PDF à direita para ler o restante do documento.


Seis estratégias para fazer a transição para a nuvem

Nos últimos anos, ouvimos muito sobre os benefícios (e todas as transformações) da nuvem. A esta altura, muitos de nós concordamos que as vantagens são amplas e convenientes. Digamos que você tenha finalmente aceitado que é o momento de migrar para a nuvem: qual é o próximo passo?

Primeiramente, é importante ressaltar que a migração para a nuvem não deve ser encarada em termos de “tudo ou nada”. Na realidade, a melhor estratégia geralmente é começar resolvendo um problema específico ou aproveitando uma boa oportunidade. As empresas que não “nasceram na nuvem”, ou seja, que estão há um pouco mais de tempo no mercado, precisam de um plano de transição para a nuvem. Quais são as abordagens que você deve adotar na nuvem? Quais sistemas descontinuará e migrará para a nuvem em uma nova versão? Quais sistemas já funcionam e sempre continuarão como estão? Você talvez nunca adote a nuvem a 100%, e isso não é problema.

Porém, para começar a usar a nuvem, é necessário ter um plano. Confira a seguir algumas estratégias de transição para a nuvem.

1. Entenda com clareza o problema a ser resolvido.

A migração para a nuvem deve ser justificada por um problema comercial concreto, não por um desejo abstrato de usar a nuvem. Por exemplo, você precisa de uma nova solução de gestão de RH? Considere isso como um ponto de partida. Avalie as ofertas de nuvem nessa área, como o Workday, o SuccessFactors, entre outras. A implementação provavelmente será mais rápida na nuvem, o que significa que você terá um retorno mais imediato e poderá começar sua transição sem substituir algo que já funciona. E, de brinde, ainda economizará dinheiro.

Scott Moran, da Wild Tangent, migrou a maior parte da infraestrutura de dados de sua empresa para a nuvem. Ele incentiva as pessoas a ver os diversos serviços de nuvem disponíveis como um “kit de ferramentas”. Selecione a ferramenta ideal para atender à necessidade em questão no momento certo.

Scott Moran, diretor de business intelligence da WildTangent, afirmou: “Basicamente, o cliente aluga o acesso aos serviços.” Ele salientou que, como os provedores de serviços lidam com todos os recursos de hardware e rede, aumentar a capacidade pode sair extremamente barato em termos de expansão horizontal. Moran acrescentou: “Constatamos que é muito mais fácil expandir a infraestrutura horizontalmente usando o cartão de crédito do que chamar a equipe de operações no meio da noite para adicionar capacidade de servidor... agora podemos realizar dimensionamento horizontal e vertical com apenas alguns cliques.”

Moran migrou gradualmente a arquitetura de dados da Wild Tangent. Ele alerta que, seguindo a analogia da caixa de ferramentas, não é útil tirar todas as ferramentas da caixa de uma só vez. Use uma, termine o trabalho e depois passe para a seguinte. Isso ajuda a garantir que os negócios não sofram interrupções durante a transição.

Se você já decidiu fazer a mudança, analise o kit de ferramentas de serviços de nuvem e veja se há uma opção adequada. Precisa de um novo data warehouse? Uma nova solução de gestão de RH? CRM? Considere a possibilidade de migrar para a nuvem. A implementação provavelmente será mais rápida na nuvem, o que significa que você terá um retorno mais imediato e poderá começar sua transição sem substituir algo que já funciona. E, de brinde, ainda economizará dinheiro.

Quer saber mais? Baixe o restante do whitepaper!

Continuar lendo...

Você também pode gostar de...