Este artigo foi publicado inicialmente em parceria com a Forbes BrandVoice.

Se os dados são o coração das organizações modernas, os líderes de dados são a pulsação. Eles divulgam práticas recomendadas, modelam o comportamento impulsionado por dados e promovem a capacitação em dados atuando como educadores e mentores. Esses colaboradores criam e incentivam a cultura de dados da empresa, que é fundamental para o sucesso no panorama atual. Em tempos de crise, como a pandemia de COVID-19, os líderes de dados podem ajudar as empresas a se preparar para condições de mercado em constante mudança e tomar decisões essenciais para estabilizar a situação.

“Conforme os dados se tornam cada vez mais valiosos para as organizações, há pessoas que assumem a tarefa de promover a cultura e a mentalidade de como a organização coleta e usa os dados, o que ajuda a mudar a maneira como as decisões são tomadas”, afirma Ashley Howard Neville, defensora de tecnologia sênior na Tableau. “Esses são os líderes que usarão os dados para criar soluções inovadoras e ajudar a planejar a estratégia de recuperação da organização.”

Quem são os líderes de dados da sua empresa?

  • Eles modelam o comportamento impulsionado por dados

    Líderes de dados dão o exemplo. Eles usam dados organizacionais em tempo real para orientar suas decisões diariamente. Eles são adeptos do software de business intelligence da empresa e incentivam uma mentalidade que coloca os dados em primeiro lugar. 67% dos entrevistados de organizações líderes em dados afirmaram que exigem o uso dos dados para embasar recomendações e decisões, de acordo com um estudo recente da IDC patrocinado pela Tableau.1
  • Eles promovem equipes centradas nos dados

    Equipes centradas nos dados modernas devem ser capazes de equilibrar três competências principais: encontrar, analisar e interpretar os dados. Para isso, é necessário dialogar com os líderes internos com a finalidade de formar equipes sólidas e cultivar comunidades de dados que ajudem a expandir a cultura de dados. Os colaboradores de organizações líderes em dados são três vezes melhores para encontrar e interagir com os dados do que outras organizações menos capacitadas em dados, de acordo com o estudo da IDC. Porém, esses colaboradores precisam do apoio de equipes centradas nos dados.
  • Eles são educadores e mentores

    Os líderes de dados geralmente começam como professores informais, compartilhando seus conhecimentos em dados e orientando seus colegas antes de assumir um cargo de liderança formal. De acordo com o estudo da IDC, o número de colaboradores de empresas líderes em dados dispostos a compartilhar dados com toda a organização é 79% maior em comparação com empresas menos capacitadas em dados.

Como as empresas são forçadas a se adaptar a várias crises simultâneas, o domínio dos dados e a liderança em dados são mais importantes do que nunca. “Ter dados sólidos e a capacidade de interpretá-los aumenta a velocidade e a agilidade da empresa”, afirma Mark Jewett, vice-presidente sênior de marketing de produtos da Tableau. “É preciso abraçar os dados.”

Se você é um executivo que deseja saber como liderar sua organização neste momento de adversidade e explorar o potencial dos seus colaboradores mais valiosos, siga os dados. Aqui, apresentaremos dicas acionáveis de como dar autonomia aos líderes de dados da sua organização para promover uma cultura de dados sólida. Essas ações ajudam a preparar sua organização para tomar decisões importantes sobre a reabertura das atividades e enfrentar os obstáculos futuros com uma mentalidade ágil.

Como dar autonomia aos líderes de dados da sua empresa?

Os líderes de dados nem sempre ocupam cargos formais de liderança ou dados. Para Howard Neville, não existe um cargo único que defina o que é ser um líder de dados: eles podem vir tanto da área comercial como do departamento de TI, mas geralmente ocupam um cargo de gestão de nível intermediário e têm experiência em várias disciplinas. “Na verdade, qualquer pessoa de uma organização pode ser um líder de dados”, afirma Howard Neville. “O que importa é o valor que ela agrega à organização. Os líderes de dados trabalham além da sua área de atuação específica, promovendo os dados em toda a organização.”

Esses colaboradores ajudarão a orientar vários aspectos da sua estratégia de crise e recuperação, pois sabem como obter os dados necessários e usá-los para guiar e ajustar o planejamento.

Os executivos precisam dar autonomia a esses profissionais, pois eles podem ajudar a acelerar o tempo de resposta, trazer novas ideias e alinhar toda a empresa. No papel de executivo, como você pode explorar todo o potencial desses colaboradores? Considere as dicas acionáveis a seguir para dar autonomia à próxima geração de líderes de dados.

Promova o feedback constante

Não se concentre em processos hierárquicos em que você, como executivo, sempre toma todas as decisões. Incentive um diálogo aberto e frequente sobre os dados e as informações. Isso pode acontecer na forma de breves reuniões diárias, em que todos consultam os dados e usam seus conhecimentos contextuais para descobrir informações úteis, abrindo espaço para um processo democrático e possibilitando a tomada de melhores decisões com mais rapidez. Ao priorizar as decisões embasadas nos dados, você ajuda a preparar sua organização e sua equipe para a fase de recuperação que está por vir.

Trabalhe de forma simples e inteligente

“A simplicidade, a confiança e a velocidade são essenciais em uma crise”, afirma Jackie Yeaney, vice-presidente executiva de marketing da Tableau. Isso significa encontrar um grupo de líderes de dados e colocar prontamente à sua disposição os recursos de que precisam para fazer seu trabalho. Como observa Yeaney: “Há situações em que é melhor optar pelo satisfatório em vez de buscar a perfeição.” Os executivos devem trabalhar com os líderes de dados para reavaliar e acompanhar as principais métricas à medida que mudanças ocorrerem. Elogie sua equipe no início e no final do trabalho e experimente novidades durante a crise.

Crie oportunidades de colaboração

Líderes de dados não trabalham sozinhos. Eles contam com suas equipes, com o apoio de superiores e com uma comunidade sólida para ajudar os colaboradores a desenvolver habilidades de dados, colaborar e compartilhar práticas recomendadas entre departamentos. O próximo líder de dados da sua comunidade pode não ser um membro da diretoria. Talvez ele seja um gerente ou analista que trabalha diretamente com a equipe e está esperando a oportunidade de assumir a posição. Dê a ele essa oportunidade dedicando o tempo e o espaço adequados para que ele possa exercer e ampliar suas habilidades.

Como líderes de dados podem ajudar a atravessar uma crise?

Durante o período mais crítico de uma crise, as empresas devem aprender a recorrer aos líderes de dados como estrategistas e sinalizadores das condições de mercado. Isso também se aplica ao período de recuperação que vem depois da fase de incertezas, quando as empresas começam a se estabilizar e se acostumar com um novo padrão de normalidade. Passados alguns meses desde o início da pandemia de COVID-19, algumas organizações já demonstraram o imenso valor que uma cultura e uma estratégia de dados sólidas podem agregar. O que elas têm em comum é a agilidade e a capacidade de aproveitar de forma imediata os talentos e recursos de dados à sua disposição. Considere estes exemplos de casos reais:

Como uma ONG de combate à fome está rastreando estudantes sem acesso à alimentação

Uma ONG internacional de combate à fome pôde criar um painel que mostra onde escolas foram fechadas e quantas crianças perderam o acesso à alimentação em consequência disso. A organização já tinha um banco de dados para acompanhar essas métricas, mas seus líderes de dados se adaptaram com rapidez para integrar dados abertos de instituições públicas a fim de incluir dados mais recentes. Agora esse painel está sendo usado por líderes e legisladores de todo o mundo e também está disponível para o público.

Como uma cooperativa de crédito está agilizando a concessão de empréstimos

Quando grande parte dos Estados Unidos entrou no período de isolamento de emergência, uma das uniões de crédito mais antigas do país já estava pronta para se adaptar. Como os bancos são considerados serviços essenciais, a organização precisou reestruturar suas operações, o que incluiu destinar mais recursos ao atendimento pessoal e aos serviços on-line e processar um disparo no número de solicitações do programa de empréstimos para pequenas empresas Paycheck Protection Program. A cooperativa de crédito já havia priorizado uma cultura de dados, então os líderes de dados da equipe de análise puderam disponibilizar os dados necessários prontamente para ajudar a encaminhar os recursos aos lugares necessários.

Como uma empresa de empréstimos está mantendo seus colaboradores seguros

Quando a Índia implementou o lockdown para toda a população, os líderes de nível sênior de uma empresa de empréstimos criaram uma força-tarefa dedicada a atender às necessidades dos colaboradores durante a crise. Eles desenvolveram um painel para visualizar informações relacionadas à saúde e à segurança dos colaboradores, ajudando a avaliar suas principais necessidades, como finanças, medicamentos, alimentação e transporte. Como resultado, foi possível providenciar recursos com rapidez antes do agravamento da crise.

No final das contas, o trabalho dos líderes de dados gira em torno da confiança, que é uma via de mão dupla entre os executivos e os colaboradores operacionais. Se os colaboradores tiverem mais autonomia, acesso e recursos, esse apoio terá reflexo nos resultados de seu trabalho. “Percebemos que, quanto mais confiança você deposita na equipe em termos do acesso que ela tem aos dados, mais responsável ela se sente por usar esses dados de forma consciente e eficaz”, comenta Mark Jewett da Tableau. Isso estabelece as bases para uma cultura de dados ágil que pode ajudar as organizações a se adaptar a desafios imprevistos e transformá-los em oportunidades de crescimento.

1. Por que você deve se importar com a cultura de dados, abril de 2020. IDC InfoBrief, patrocinado pela Tableau.

Assine nosso blog