Lufthansa aumenta a eficiência em 30%, ganha flexibilidade e autonomia


Economia de 30% do tempo de preparação e análise de dados
Mais autonomia com a geração de relatórios de autoatendimento
Mais vantagens competitivas com as análises em tempo real

O Grupo Lufthansa é um grupo global de aviação com mais de 550 subsidiárias e empresas associadas. Em 2016, a Lufthansa gerou cerca de 32 bilhões de euros em vendas anuais, com aproximadamente 124.300 funcionários.

Heiko Merten, Christian Novosel e Fabian Schmick, gerentes da Lufthansa, contam como usaram o Tableau para economizar 30% do tempo de preparação de dados, ganhar mais autonomia nos departamentos especializados, aumentar a flexibilidade na tomada de decisões e estabelecer uma cultura orientada por dados na organização.

Para nós, o autoatendimento se traduziu em mais eficiência nas operações cotidianas. Agora conseguimos ver e entender nossos dados sem ter que envolver o departamento de TI, por exemplo.

Economia de 30% do tempo por meio da padronização e da automação de relatórios

Embora a Lufthansa seja uma empresa de análise e impulsionada por dados há muito tempo, não houve uma geração de relatórios uniforme em 2016. Heiko Merten, chefe de aplicativos de BI em vendas da Lufthansa, lembra o seguinte: “Cada departamento tinha seu próprio sistema de geração de relatórios, sem que houvesse padrões uniformes. O desenvolvimento de cada análise nova tinha que ser solicitado formalmente no departamento de TI, o que costumava demorar muito devido à alta carga de trabalho, resultando em um crescimento constante dos pedidos pendentes”.

O esforço individual da preparação de dados era altíssimo, diminuindo consideravelmente o tempo para fazer a análise das informações: “A proporção entre preparação de dados e análise/interpretação dos resultados era de aproximadamente 80:20”, explica Heiko Merten.

Por iniciativa do departamento de vendas, a Lufthansa começou a buscar uma nova solução de geração de relatórios para todo o grupo. A procura veio em boa hora, pois as linhas aéreas Swiss e Austrian Airlines também tinham que estar vinculadas à marca da Lufthansa sob os mesmos padrões de geração de relatórios.

A nova solução deveria ajudar a diminuir a dependência em relação ao departamento de TI e permitir a geração de relatórios abrangentes de autoatendimento. Fabian Schmick, gerente sênior de estratégia corporativa da Lufthansa, explica: “Nosso critério principal para escolher a solução era a facilidade de uso”. Além disso, as fontes de dados da empresa deveriam ser fáceis de conectar.

“A Lufthansa está em uma posição confortável porque temos muitas fontes de dados úteis em várias infraestruturas de tecnologia”, explica Schmick. “Temos Teradata, SAS e bancos de dados da Oracle que analisamos, além de planilhas simples do Excel. Também adicionamos informações externas ocasionalmente, como redes sociais ou Flightradar24.”

A maior parte da geração de relatórios da Lufthansa era feita em papel, e os relatórios eram distribuídos e acessados em formato PDF. Quando uma análise dava origem a novas perguntas, era necessário desenvolver outro relatório. Esse processo obsoleto e a grande quantidade de dados a serem preparados demandavam muito tempo e esforço.

“Com o Tableau, ficou muito mais fácil consolidar fontes de dados diferentes em um formato ágil e interativo”, explica Christian Novosel, chefe da iniciativa estratégica de BI da Lufthansa. “Agora podemos tomar decisões orientadas por dados durante uma reunião. A aceitação passa por toda a hierarquia até o nível do conselho com o nosso CFO, que apoia nossa iniciativa.”

A economia de tempo também é enorme. “Conseguimos agilizar consideravelmente nossos processos com o Tableau”, explica Christian Novosel. “Isso nos permite automatizar e padronizar a maioria dos relatórios principais. Agora temos cerca de 30% mais tempo livre para fazer análises mais direcionadas. Dessa forma, o Tableau nos ajuda a analisar os volumes de dados que crescem em ritmo vertiginoso e a acompanhar as mudanças em nosso setor.”

Heiko Merten acrescenta: “Agora chegamos a uma proporção de 60:40 entre preparação e análise de dados, em vez do índice anterior de 80:20. Sei que estamos no caminho certo, mas ainda quero fazer uma transformação completa no relacionamento original um dia.”

Além disso, o Tableau ofereceu padrões uniformes e indicadores-chave de desempenho para uso em todo o grupo. Heiko Merten declara: “Agora todo mundo sabe que estamos falando das mesmas informações e dos mesmos números, com base em uma única fonte confiável. Essa dinâmica melhorou muito a cooperação entre os vários departamentos e empresas do grupo”.

Novo logotipo da Lufthansa
Uniforme da Lufthansa
Avião comercial da Lufthansa

Muitas pessoas agora entendem a importância dos dados para o sucesso de uma organização como a Lufthansa.

Mais autonomia para departamentos especializados com a geração de relatórios de autoatendimento

“Para nós, o autoatendimento se traduziu em mais eficiência nas operações cotidianas”, explica Fabian Schmick. “Conseguimos ver e entender nossos dados sem ter que envolver o departamento de TI, por exemplo. Queremos poder extrair informações interessantes para desenvolver novas ideias usando dados que não conseguíamos ver antes.”

A adoção do Tableau na empresa cresceu rapidamente depois da prova de conceito, tendo início no departamento de vendas e se estendendo pelos outros departamentos. Em doze meses, a Lufthansa transformou um conjunto pequeno de usuários em um grupo de aproximadamente 80 profissionais adeptos do Tableau Desktop. Atualmente, cerca de 500 pessoas acessam os relatórios e as análises do Tableau usando o Tableau Server.

A Lufthansa se beneficia da nova solução com menos dependência e mais agilidade nos resultados, principalmente em departamentos especializados. Heiko Merten explica: “Agora estamos muito mais preparados para criar e desenvolver nossas próprias análises de maneira independente. Essa mudança foi muito bem recebida pelos departamentos especializados, e creio que os dois lados (TI e especialistas) se beneficiaram da solução. Muitas pessoas agora entendem a importância dos dados para o sucesso de uma organização como a Lufthansa.”

Com o Tableau, pudemos acelerar consideravelmente os processos. Isso nos permite automatizar e padronizar a maioria dos relatórios principais. Agora temos cerca de 30% mais tempo livre para fazer análises mais direcionadas. Dessa forma, o Tableau nos ajuda a avaliar os volumes de dados que crescem em ritmo vertiginoso e a acompanhar as mudanças em nosso setor.

Análise que gera vantagens competitivas

Para Christian Novosel, a rapidez da tomada de decisão é um diferencial em relação à concorrência: “Não tenho dúvidas de que essa é uma vantagem competitiva importantíssima para qualquer empresa, um diferencial das empresas de sucesso. O fato de essas oportunidades chegarem ao nível do conselho disponibiliza as informações certas para os principais tomadores de decisão quando eles mais precisam, gerando vantagens decisivas.”

Fabian Schmick também sentiu os benefícios da nova solução: “O Tableau me ajuda a comunicar melhor minhas mensagens. Com essa plataforma interativa, consigo responder a muito mais perguntas diretamente nas conversas com a gerência. Essa foi uma das grandes vantagens do Tableau no meu cotidiano no departamento de estratégia.”