A sua estratégia de análise está gerando valor?

Três modelos para calcular o valor de BI

Existem diferentes métodos para avaliar o valor obtido com o software escolhido.

Movido pelos dados, o mundo de hoje exige das pessoas e organizações conhecimentos sobre dados para tomar decisões e gerar valor. Mas pode ser difícil entender a diferença entre os produtos disponíveis.

Com esses métodos, os clientes constataram:

39%

menor custo com o Tableau ao avaliar custos de licença, plataforma e mão de obra

40%

maior valor gerado pela maior eficiência no uso da análise

Para entender o valor do business intelligence, ele precisa ser avaliado não apenas levando em conta os custos e os benefícios funcionais do software, mas também as vantagens comerciais que são possibilitadas pela tomada de decisão orientada por dados.



Hierarquia de valores empresariais no Tableau

Dependendo da etapa na jornada em direção aos dados em que sua organização se encontra, você pode optar por se concentrar na economia de custo, na eficiência ou na eficácia.

Calcule o custo total de propriedade de uma solução de BI e escolha a opção de menor custo.

Prosseguir para o modelo

Nível 2: Eficiência – Modelo de produtividade do trabalhador

Compare os ganhos de produtividade do trabalhador alcançados com diferentes soluções e use o custo do trabalho para calcular um retorno sobre o investimento.

Prosseguir para o modelo

Nível 3: Eficácia – Modelo de impacto esperado

Quantifique o valor obtido com a melhora na tomada de decisões em toda a organização, resultante de uma força de trabalho mais bem-informada.

Prosseguir para o modelo


01: Modelo de custo total de propriedade

Calcule o custo total de propriedade de uma solução de BI e escolha a opção de menor custo.

Muitas vezes, os clientes avaliam os custos das licenças, mas não consideram o suporte, o treinamento e as tecnologias adicionais que somam ao custo total. Esse modelo assume que o valor bruto recebido com as muitas tecnologias de BI disponíveis é mais ou menos o mesmo, o que significa que o mais importante é escolher a opção que custe menos dinheiro. Isso nem sempre é verdade, mas é adequado para algumas situações.

Existem vários fatores que deveriam ser incluídos no custo total de propriedade, não só o custo das licenças. Há também os custos das plataformas e da mão de obra:

CUSTOS DAS PLATAFORMAS

Infraestrutura: Hardware, infraestrutura como serviço, dados (deslocamento/armazenamento), serviços de sistema

Software: Licenciamento, integrações de parceiros, taxas de conectores de dados/armazenamento, acesso de APIs, taxas de uso

CUSTOS DE MÃO DE OBRA

Instalação

Configuração

Criação de relatórios: Equipe de TI para desenvolver e selecionar o conteúdo

Suporte: Suporte técnico e manutenção contínua

Treinamento: Capacitação de usuários, treinamento de instrutores, cursos

Quando usar o modelo do custo total de propriedade

  • Se suas análises forem executadas por consultores ou outros tecnólogos contratados.

  • Em casos de uso focados em distribuição de painéis com pouca necessidade de análise ad hoc.

  • Com visualizações incorporadas em que o conteúdo estático será distribuído e a aparência é mais importante do que a interatividade.

Leituras recomendadas

Como escolher a plataforma de análise e abordagem moderna de BI ideal para você – um guia para ajudar você a definir os requisitos de suporte para um fluxo de trabalho de análise moderno.

Calculando o custo total de propriedade

Exemplo

Como calcular o custo total de propriedade

Voltar para os modelos

02: O modelo de produtividade do trabalhador

Compare os ganhos de produtividade do trabalhador alcançados com diferentes soluções e use o custo do trabalho para calcular um retorno sobre o investimento.

A tecnologia de análise de dados ajuda os trabalhadores a entender as informações de forma mais rápida. O modelo de produtividade do trabalhador calcula o benefício para a sua força de trabalho ao calcular o tempo total economizado em comparação com as outras tecnologias.

Esse modelo supõe que, se seus funcionários passam menos tempo fazendo análise, eles podem utilizar a largura de banda para fazer mais análise ou realizar outras tarefas que agreguem valor comercial.

Quando usar o modelo de produtividade do trabalhador

  • Você não tem um projeto de análise específico em mente, mas está distribuindo recursos de análise para todos os seus profissionais técnicos.

  • Você está tentando calcular o valor de desenvolver uma cultura orientada por dados.

  • Você quer quantificar o ROI das comunidades de prática ou centros de excelência em relação aos dados.

Métrica para definir quando calcular a produtividade do trabalhador

Diferencial de criação: A diferença no esforço de criação de resultados analíticos em diferentes plataformas em comparação com a abordagem atual.

Diferencial de consumo: A diferença na experiência do usuário final na obtenção de informações de diferentes plataformas em relação à abordagem atual.

Fator de valor: A expectativa média do valor agregado por um profissional do conhecimento em sua organização. Essa abordagem opcional oferece um atalho para refletir um componente de eficácia no modelo de eficiência

Exemplo (a intenção desse modelo é maximizar o valor; portanto, quanto maiores os números, melhor)

Calculando a produtividade do trabalhador

*Estas são as três entradas/utilizações que afetarão os resultados desse modelo. Considere os reais usuários do seu sistema de BI (em vez de os compradores de TI realizarem toda a avaliação). A inclusão de quem realizará essas tarefas oferece uma ideia dos custos associados e como cada ação vai ser escalonada, além de resultar em estimativas mais precisas.

Voltar para os modelos

03: O modelo de impacto esperado

Quantifique o valor obtido com a melhora na tomada de decisões com uma força de trabalho mais bem-informada.

O modelo de impacto esperado pergunta: “Se um trabalhador for X% mais propenso a tomar uma boa decisão com essa tecnologia, qual será o valor disso?” Esse modelo é o mais difícil de quantificar porque requer que a tecnologia em avaliação seja alinhada aos resultados reais dos negócios. No entanto, é o mais próximo do real. Ele também pode mostrar maior criação e consumo de business intelligence que não são refletidas nas seções anteriores. A eficiência do trabalho liberado pode ser aplicada à geração de informações adicionais e impactantes para os negócios por meio da análise.

Quando usar o modelo de impacto esperado

  • Você tem algumas decisões que quer melhorar em sua força de trabalho.

  • Você está criando análises para uma área problemática ou conjunto de usuários específico.

  • Você quer análise repetível, reutilizável e escalonável que agregue valor repetidamente.

Calculando o impacto esperado

Cenário: A vantagem comercial de tomar decisões mais embasadas é definida pelos resultados que você está tentando alcançar. Isso inclui um valor estimado proveniente de um bom resultado.

Escopo de decisão: Quais decisões influenciam os seus resultados? As linhas de negócio entendem quais decisões têm impacto nos resultados que estão tentando alcançar.

Aprimoramento: Em termos quantitativos, como o acesso aos dados ajudará os profissionais técnicos a tomar decisões melhores? Além disso, comparativamente, como as diferentes tecnologias afetarão a tomada de decisões? Esse valor pode ser quantificado em uma taxa de aprimoramento que mostre quanto valor a mais as decisões aprimoradas agregarão ao seu cenário.

Exemplo

Calculando o impacto esperado

*Não é possível ver todos os pontos de dados em uma única exibição com o fornecedor de BI, então não há aprimoramento de precisão.
**Os painéis de BI melhoraram a velocidade de tomada de decisões, mas não tanto quanto o processo de análise visual.

Voltar para os modelos



Descubra por que o Tableau faz a diferença.


Compre o Tableau hoje mesmo