Oito medidas que as universidades estão adotando para causar impacto com dados


Visão geral | O que você aprenderá: 

Universidades e faculdades lutam para crescer e cumprir sua missão de educar suas comunidades. Comunicar os dados relacionados a essa missão – por exemplo, quantos estudantes estão se formando, como é a população estudantil e se a universidade está cuidando de suas finanças – é um componente importante da vida de qualquer instituição. Nesta era de grandes volumes de dados e fontes de dados distintas, isso pode ser um desafio enorme. Apesar disso, as instituições que conseguiram apresentar dados importantes on-line puderam contar melhor suas histórias e se envolver com suas comunidades de uma forma mais significativa.

Este artigo apresenta oito medidas que as instituições de ensino superior estão adotando para analítica e visualização de dados, embasadas por exemplos reais. Ele também aborda problemas comuns, como manter os dados atualizados e adequadamente confidenciais e seguros.

1. Acompanhar as tendências das inscrições

As inscrições são uns dos tipos de dados mais importantes de uma universidade. Esses dados são essenciais para o sucesso das etapas de planejamento e contratação, além de mostrar quando a demografia apresenta uma mudança significativa.

A Universidade de Oxford compartilha on-line os dados das inscrições para mostrar as tendências da população estudantil. Os visitantes do site podem detalhar os dados por tipo de curso, sexo, status da taxa, domicílio e nacionalidade.

A Universidade DePaul, em Illinois, também compartilha os dados de suas inscrições em uma visualização interativa. Isso permite que qualquer pessoa analise os dados por tipo de estudante, faculdade e outros fatores.

Acompanhar as tendências das inscrições pode ajudar os estudantes, os professores e os funcionários da instituição a entender quais são as comunidades que mudam mais rápido com mais frequência. Aqui, a Universidade de Michigan analisa os dados das inscrições ao longo do tempo em relação a momentos históricos, como a admissão de mulheres e pessoas de outras etnias.

2. Criar um guia interativo da universidade

Os estudantes analisam os dados referentes a mensalidade, duração das aulas, índices de graduação e outras métricas para escolher suas futuras universidades. Fornecer esses dados de uma forma interessante e visual no site da sua instituição pode permitir que os estudantes entendam melhor os seus programas e encontrem o curso ideal.

O guia da Universidade de Cornell está disponível on-line. Nele, seus futuros alunos podem encontrar informações sobre os perfis das aulas do primeiro ano, graduação, corpo docente e muito mais.

A Universidade de Brown também divulga informações on-line para seus futuros alunos. Eles podem ver as mudanças no corpo docente ao longo dos anos, que mostram um forte crescimento no número de professores.

3. Atrair futuros colaboradores

A Texas A&M University tem uma visão ambiciosa sobre o desenvolvimento de conhecimento e o fornecimento de educação de alta qualidade. Ela disponibiliza várias estatísticas em seu site como uma forma de acompanhar o progresso de sua missão. Esses tipos de métricas são muito úteis para os esforços de desenvolvimento. Elas mostram aos potenciais colaboradores seu progresso nos índices de retenção e graduação, e identificam os estudantes originários de uma determinada área ou cidade.

A Universidade da Califórnia, em Berkeley, acompanha os índices de graduação de calouros e, com isso, mostra um grande aumento no número de alunos que se forma em 4 anos ou menos. Os filtros permitem que os visitantes detalhem os dados por ano ou vejam os resultados de novos calouros ou transferências.

Quer saber mais? Baixe o restante do whitepaper!

Continuar lendo...

Você também pode gostar de...