Corretora de Seguros do BRB melhora sua gestão de performance com o Tableau


Otimização na gestão de performance de vendas
Ganho de 1 semana na extração de dados

Saiba como a Corretora de Seguros do BRB ( ​Banco de Brasília S.A) ​estruturou seu Business Intelligence com o Tableau, permitindo que diversas áreas da corretora obtenham insights e tomem decisões de negócio de forma rápida e precisa.​ ​Dentre os resultados atingidos estão a melhoria na gestão da performance, ganho de velocidade na extração de dados e um aumento consistente nas taxas de uso dos painéis. O sucesso foi tão grande que em breve a Seguros BRB irá quadruplicar o número de licenças e munir toda a equipe comercial com dados do Tableau.
O BRB é um ​banco público focado no crescimento econômico e no desenvolvimento sustentável do Distrito Federal, onde se localizam 101 dos seus 116 pontos de atendimento. O foco deste caso de sucesso é a ​Corretora de Seguros do BRB,​ que apesar de pertencer a mesma organização, tem uma operação própria, e um ​modelo de Business Intelligence que merece destaque no setor público brasileiro.​ A Corretora de Seguros do BRB tem mais de 30 anos de mercado, atua em parceria com as grandes seguradoras do Brasil e é referência no mercado securitário nacional.

Um longo caminho rumo ao BI ideal

O projeto de BI da Corretora de Seguros do BRB teve início em meados de 2009 com a estruturação do back-end dos dados e a criação de um ​data lake​. Em 2011 a gerência de sistemas de dados optou pelo Power BI para servir de front-end estabelecer o BI da organização
Segundo Rafael Pinto Ferreira, Gerente de Tecnologia da Corretora de Seguros do BRB que trabalha há mais de 20 anos na Corretora e acompanhou todo o processo: “Infelizmente nossa primeira tentativa de criar um BI não funcionou, a ferramenta [Power BI] era muito engessada, e o usuário dependia de intervenções constantes da TI para desenvolver seus projetos. Nós precisávamos de um modelo de BI que desse autonomia ao usuário final”.

O desafio da licitação: “queríamos o Tableau, mas não sabíamos se eles venceríam a licitação”.

Em 2015 o BI da Corretora de Seguros do BRB estava defasado, com uma ferramenta de apresentação que não provia autonomia aos usuários, relatórios completamente desatualizados e taxas de uso baixíssimas nos sistemas legados. Era hora de estabelecer um novo B e para isso a TI iniciou uma série de provas de conceito (POCs) com os principais players do mercado seguida de uma licitação bem detalhada. “O Tableau foi a ferramenta que melhor atendeu às nossas expectativas durante a fase de POCs, mas a lei das licitações engessa um pouco as compras no setor público e nem sempre conseguimos comprar o que queremos. Nós queríamos o Tableau, mas não sabíamos se conseguiríamos comprá-lo” - conta Rafael.
Felizmente, a Analítica, parceira do Tableau, fez uma proposta agressiva e levou a licitação, dando início a era do BI de autoatendimento da Seguros BRB, uma revolução de processos que gerou aumento de produtividade e impactos positivos nos resultados da companhia. “Hoje somos dependentes do Tableau - relata Rafael, e completa - e mesmo a nossa diretoria, que no início era um pouco resistente a implementação da ferramenta, é absolutamente fã”.

Hoje somos dependentes do Tableau e mesmo a nossa diretoria, que no início era um pouco resistente a implementação da ferramenta, é absolutamente fã.

Implementação rápida: ferramenta rodando em menos de 1 mês

Como o processo teve início sem apoio executivo a corretora iniciou um projeto pequeno com 24 licenças Tableau dividas entre as áreas comerciais e controladoria. A implementação foi muito rápida, e em pouco tempo, um dos profissionais aprendeu a desenvolver na ferramenta, tomou as rédeas do projeto e passou a treinar profissionais de outras áreas, tudo de forma orgânica. “Acoplamos a ferramenta [o Tableau] e em cerca de 10 dias começamos a rodar. Em 1 mês fizemos o roll out completo, e não precisamos de acompanhamento da consultoria já que fizemos os treinamentos in house. Foi muito rápido” - relatou Rafael.

Ganho de 1 semana na extração de dados

Antes da implementação do Tableau, processos recorrentes como o acompanhamento da administração e corretagem de seguros dependiam da extração da base feita pela TI, e cruzamento de dados em uma série de softwares, um processo demorado e nem sempre exato, já que pessoas diferentes podiam obter diferentes resultados dependendo das premissas utilizadas. Com o Tableau criou-se um repositório central de informações, uma fonte única para todas as áreas da empresa e que funciona sem a intervenção da TI que apenas intervém quando é preciso carregar algum que não consta na base. Empoderar as áreas de negócio e remover barreiras é um dos grandes benefícios do BI de autoatendimento e os resultados são imediatos. Quer ver?
Segundo Rafael, empoderar os colaboradores é a grande sacada do Tableau, e o principal motivo de sucesso na Seguros BRB: “O dado é do usuário, ele é que sabe tratar a informação, o tableau nos deu a autonomia que precisamos de forma muito visual e fácil de usar”. O primeiro resultado atingido foi na extração de dados do dia a dia, processos que antes levavam 1 semana de trabalho da TI passaram a ser realizados em 2 horas, e até o comitê executivo, que no início se mostrou resistente a implementação do Tableau, percebeu os benefícios da ferramenta, apoiou a expansão inicial de 24 licenças para 34 e já prevê uma nova licitação para quadruplicar o número de licenças, a ideia é munir cada um dos mais de 100 vendedores com licenças o Tableau.

O dado é do usuário, ele é que sabe tratar a informação, o tableau nos deu a autonomia que precisamos de forma muito visual e fácil de usar.

Gestão de Performance: melhor visibilidade dos resultados

Enquanto isso não acontece, as equipes comerciais recebem e-mails diários com um resumo de seus resultados e as métricas mais importantes extraídas do Tableau. Ou seja, mesmo sem acesso aos painéis, a equipe comercial já utiliza o Tableau para a gestão de performance, algo que deve se potencializar bastante com a chegada das novas licenças. “Nossa equipe comercial é muito forte e trabalha com metas agressivas, uma equipe muito focada na parte tática das vendas, e que aos poucos começa a se tornar mais estratégica graças aos insights gerados pelo Tableau. Nosso objetivo é muní-los com informações e tornar os períodos de agência vazia mais produtivos” - conta Rafael.
Trazer o Tableau para a gestão de performance permite que a seguradora enxergue - de forma rápida- a contribuição de cada produto e de cada vendedor para performance da companhia, identifique tendências de mercado, crie clusters de clientes e desenvolva estratégias para maximizar os resultados. Valioso, não? E os ganhos não param por aí, graças aos dados obtidos a Corretora pode rever sua forma de remunerar os vendedores deixando o processo mais transparente para o consultor e tornando o controle mais efetivo. Essa nova fórmula de pagamento reduziu prejuízos causados por comissões pagas de forma antecipada.

Outro ganho instantâneo - e notável - da implementação da Corretora de Seguros do BRB foi reverter a baixa taxa de uso nos relatórios que hoje tem milhares de visualizações e são atualizados em tempo real. “Empoderamos nossos usuários, que hoje conseguem suprir as necessidades da diretoria, e ainda desenvolver projetos inovadores. Nossas taxas de uso de Tableau se equiparam a companhias que são referência mundiais” - comemora Rafael.
Conselhos para estabelecer um BI de autoatendimento de sucesso
Para fechar este caso de sucesso, Rafael deixa conselhos para empresas públicas que desejam embarcar no universo do BI de autoatendimento: “Estruture seu projeto, entenda suas necessidades e escreva muito bem o termo da licitação com requisitos técnicos fundamentados. Outro ponto importante é parceria da TI com as áreas de negócio para tirar o projeto do papel e torná-lo realidade. Uma vez implementado, você irá se surpreender com a velocidade e com as possibilidades do Tableau”.

Empoderamos nossos usuários, que hoje conseguem suprir as necessidades da diretoria, e ainda desenvolver projetos inovadores. Nossas taxas de uso de Tableau se equiparam a companhias que são referência mundiais.