A visualização de dados é uma disciplina em constante evolução. Nas últimas décadas, diversas vertentes desenvolveram seus pontos de vista sobre quando e como devemos usar elementos visuais para analisar os dados. Às vezes, pode ser difícil decidir qual é o tipo de visualização ideal para seus objetivos ou dados. Todos os dias, as pessoas se deparam com dezenas de tipos comuns de visualizações de dados. Algumas dessas visualizações são lindas, mas não oferecem informações úteis. Outras são funcionais, permitindo que o visualizador tire conclusões à primeira vista, mas deixam a desejar no quesito estética. Algumas são fáceis de criar, mas, para que sejam eficazes, o criador precisa preparar adequadamente os dados. Além das aproximadamente 50 visualizações mais comuns, há uma infinidade de outros tipos pouco conhecidos. O objetivo do criador, assim como a estrutura e o volume dos dados subjacentes, determina quando devemos usar um tipo de visualização em vez de outro.

Este Glossário de visualizações de dados explora vários tipos comuns de visualizações. Ele pode ajudar você a tomar decisões embasadas ao criar suas visualizações. Vários tópicos e tipos de visualizações ainda não foram abordados no glossário. Ele crescerá e evoluirá com o passar do tempo para acompanhar as transformações nessa disciplina.

Famílias de visualizações

A “família” de uma visualização determina suas principais características. Isso permite uma classificação hierárquica dos grupos principais: gráficos, visualizações geoespaciais e tabelas. Muitas vertentes da visualização categorizam as famílias segundo critérios distintos. A abordagem mais comum é separar os gráficos em subcategorias independentes. Escolhemos três para simplificar o glossário e ressaltar a importância da função analítica e do tipo de marca.

Usando visualizações para analisar dados

A função analítica descreve como as pessoas interpretam, exploram e entendem os dados na visualização. Muitas visualizações têm várias funções analíticas. Elas geralmente dependem de como o criador implementa a visualização. Separamos cada função por página, com um diferenciador marcante. As seis funções analíticas abaixo abordam as várias maneiras como uma visualização explora os dados, mas existem muitas outras que não foram incluídas na lista.

Avalie o Tableau gratuitamente

A importância de escolher o tipo certo de visualização

A visualização é uma ferramenta que serve para entender os dados. Como todas as ferramentas, algumas são úteis em casos mais especializados, enquanto outras têm uma utilidade mais ampla. Um gráfico de barras pode atender a uma ampla variedade de necessidades, mas uma nuvem de palavras é útil apenas em determinadas situações. Para escolher o tipo certo de visualização, é necessário considerar três pontos: a finalidade da visualização, os dados que você deseja exibir e as necessidades do seu público-alvo. Nem sempre é possível definir claramente esses três pontos antes de criar a visualização, mas o ideal é tentar.

Dessas considerações, a mais importante é conhecer as necessidades do público-alvo. Para ser útil, a visualização deve permitir que as pessoas extraiam informações relevantes de dados complexos à primeira vista. Ela deve destacar os relacionamentos entre as medidas e explicar conceitos. Além disso, ela deve estimular a mente de formas que os dados brutos não conseguem. O uso de uma visualização inadequada deixará o visualizador confuso e desinteressado. Conheça as necessidades do público-alvo para garantir que sua visualização seja útil.

Ao identificar a finalidade específica da visualização, você pode se basear nas necessidades do público-alvo para restringir as opções. Algumas visualizações de dados facilitam o processo de análise, enquanto outras simplesmente apresentam as informações de uma forma esteticamente agradável. Algumas retratam conceitos, processos ou estratégias de maneira fácil de compreender. Para cada objetivo, há um conjunto específico de visualizações. Considere a função analítica e o tipo de marca da sua visualização antes de criá-la. Isso garante que você conseguirá atingir seu objetivo.

Conheça bem seus dados para entender com quais tipos de visualizações eles são compatíveis. Alguns gráficos oferecem dimensionalidade limitada. Outros são excelentes para destacar os relacionamentos entre várias categorias. Você pode usar a estrutura e as características dos seus dados para orientar sua decisão final. Quando estiver em dúvida, experimente. Assim, você poderá criar uma visualização capaz de conciliar seu objetivo com os dados e as necessidades do seu público-alvo.