Fundamentos das tabelas

As tabelas, também conhecidas como “tabelas de referência cruzada” ou “planilhas”, são uma das formas mais comuns de apresentar dados. Embora não sejam visualizações propriamente ditas, elas podem ser uma ferramenta muito útil para a análise visual. Por esse motivo, incluímos as tabelas como uma família separada neste glossário.

Tabelas e tabelas de referência cruzada na visualização de dados?

Os analistas geralmente usam tabelas quando querem consultar valores individuais. Elas facilitam a identificação de medidas em um conjunto de intervalos (por exemplo, qual foi o lucro da empresa em novembro de 2018) ou dimensões (por exemplo, quantas vendas cada representante fechou em 2019). Além disso, uma tabela de resumo pode descrever de maneira eficiente um conjunto de dados grande, apresentando os subtotais e totais gerais de cada intervalo ou dimensão. O problema das tabelas é que elas não são escalonáveis. Tabelas com mais de 10 a 15 linhas e cinco colunas dificultam a leitura, a compreensão e a extração de informações dos dados. Isso acontece porque uma tabela ativa os sistemas de linguagem do cérebro humano, enquanto a visualização de dados ativa os sistemas visuais.

Quando incorporamos elementos visuais em uma tabela, ajudamos as pessoas a extrair informações dos dados com mais rapidez. Gradientes de cores (consulte Mapas de variações) e tamanho (consulte Tabelas de áreas proporcionais) ajudam os visualizadores a identificar padrões e exceções. Ícones ajudam o visualizador a detectar uma mudança em medidas entre dimensões. A combinação e a associação de diferentes marcas tornam os relacionamentos mais claros do que uma tabela de dados brutos.

As tabelas e tabelas de referência cruzada são úteis para fazer análises comparativas entre pontos de dados específicos. Elas são fáceis de criar e podem mostrar uma informação fundamental de forma simples. Porém, você deve considerar se uma tabela de referência cruzada é compatível com os objetivos do seu projeto antes de transformá-la em uma visualização de dados.

Tipos de tabelas e tabelas de referência cruzada

A tabela a seguir apresenta uma breve descrição para algumas visualizações de tabela comuns. À medida que o glossário crescer em termos de extensão e abrangência, mais tipos serão incluídos, e cada um terá uma página dedicada para mostrar exemplos práticos e explicar quando devem ser usados.

Tabela de referência cruzada

Exibe dimensões e medidas em colunas e linhas.

Mapa de variações

Usa o tamanho para destacar padrões nos dados de uma tabela.

Tabela de destaque

Sobrepõe um gradiente de cores em uma tabela para destacar padrões.

Você deve usar uma tabela para sua visualização?

Ao optar por incluir uma tabela em uma visualização de dados, o primeiro passo é definir que conclusão você deseja que o visualizador extraia dos dados. Se ele tiver que localizar valores precisos em um conjunto de dados, uma tabela pode ajudá-lo. Ela também pode ser útil se ele quiser comparar valores de dimensões e categorias diferentes. As tabelas também oferecem detalhes que são ocultados por outras famílias de visualizações. Um gráfico de linhas com vendas mensais pode mostrar uma tendência, mas você não pode ver à primeira vista se o mês de março teve mais vendas do que agosto. As tabelas podem ser combinadas com visualizações para oferecer uma visão geral dos dados subjacentes. Se uma tabela ajuda a contextualizar os dados, vale a pena criá-la. Caso contrário, outras visualizações provavelmente sejam mais adequadas.

Para obter mais informações sobre quando você deve usar uma tabela, leia esta publicação do blog sobre como criar tabelas de texto.