Muitas empresas utilizam o benchmarking para comparar os seus resultados com o dos concorrentes. Por se tratar de uma comparação de desempenho, é comum pensarem que benchmarking e KPIs são exatamente a mesma coisa. Entenda exatamente o que é o benchmarking e como essa prática pode auxiliar sua empresa.

O que é benchmarking?

Em livre tradução para o português, benchmarking significa “avaliação comparativa”, uma vez que essa prática consiste em comparar parâmetros entre organizações ou setores distintos.

De acordo com a Constructing Excellence, plataforma para debater e impulsionar mudanças no setor de construção, benchmarking é um método usado para melhorar o desempenho de uma maneira sistemática e lógica. O método consiste em comparar o próprio desempenho com o dos demais e, em seguida, usar as lições aprendidas com os que apresentam os melhores resultados para aprimorar-se.

Portanto, o benchmarking estabelece um ponto de referência que permite às organizações compararem seus próprios níveis de desempenho com os níveis de desempenho de outras organizações.

Para que o benchmarking é usado?

Embora o benchmarking seja uma prática aplicada em qualquer abordagem, produtos ou negócios, ele é comumente usado para:

  • Comparar o desempenho e movimentação dos concorrentes
  • Monitorar a satisfação dos clientes
  • Identificar oportunidades de melhorias
  • Monitorar a qualidade e eficiência dos processos

Geralmente as organizações que usam o benchmarking fazem uma avaliação comparativa com outras organizações buscando melhorar seus processos e tecnologias, ao invés de comparar seu próprio progresso em direção a um objetivo estratégico, como é o caso dos principais indicadores de desempenho. Usando benchmarking, uma empresa pode descobrir com maior agilidade as oportunidades de melhoria e reduzir custos, aumentar os lucros e a satisfação do cliente.

Quais as principais diferenças entre benchmarking e KPIs?

Utilizando benchmarking, uma organização pode comparar o desempenho de seus processos, produtos e operações com aqueles de outras organizações que desempenham atividades similares. Entretanto, quando é necessário medir o desempenho das ações internas, seja de um indivíduo ou das unidades de negócios em relação aos objetivos estratégicos, a utilização dos KPIs é mais indicada.

Os KPIs, chamados no português de Indicadores-Chave de Desempenho, são usados pelas organizações para acompanhar e medir o progresso de uma meta específica ou de metas gerais. As pessoas ligadas a cargos executivos e gerenciais usam os KPIs para entender onde estão em relação aos seus objetivos, auxiliando suas equipes a se organizarem de modo a alcançar os objetivos estabelecidos.

Portanto, enquanto o benchmarking realiza uma análise comparativa de desempenho entre organizações, os KPIs servem como ferramentas de monitoramento do desempenho de uma organização em relação ao planejamento estratégico e aos objetivos previamente estabelecidos.

Como relacionar benchmarking e KPIs?

Faz parte da construção de um KPI a definição de metas e limites para indicar se os níveis de desempenho estão dentro do esperado para que a organização atinja seus objetivos, pois os KPIs jamais serão efetivos se não forem estabelecidos metas e limites.

Contudo, caso não haja bons parâmetros como referência, estabelecer esses limites e metas pode ser uma tarefa complexa. Para facilitar esse processo, o benchmarking pode ser usado, auxiliando a estabelecer os alvos e os limites de desempenho mais apropriados.

Um exemplo dessa utilização é o acompanhamento da satisfação dos clientes utilizando o indicador NPS (sigla para Net Promoter Score). Uma empresa que pretende medir o nível de satisfação de seus clientes através desse indicador, sempre esbarrará na seguinte questão: “qual é o nível de satisfação adequado para a minha empresa e à qual valor de NPS ele corresponde?”

Para definir corretamente o valor do NPS a ser atingido e os limites de aceitação da meta, a organização poderá realizar o benchmarking, coletando a pontuação do NPS de seus concorrentes, bem como os valores de referência para o setor em que a empresa está trabalhando.

Por isso, quando as empresas definem seus objetivos e metas baseados em informações obtidas através do benchmarking, elas aumentam suas chances de construírem planos e estratégias vencedoras.

Os desafios para implementar o benchmarking

Um dos maiores desafios para implementar o benchmarking é ter acesso a dados confiáveis que revelem os níveis de desempenho de um determinado setor ou mesmo de concorrentes, uma vez que a maioria das empresas não divulga publicamente suas informações.

Para auxiliar a superar esse desafio, alguns dados para a realização do benchmarking estão disponíveis para serem comprados ou são emitidos por empresas de consultorias através de relatórios anuais. O relatório Deltek AE Clarity, por exemplo, é feito anualmente, apresentando tendências futuras para a área de engenharia e arquitetura, trazendo análises históricas sobre tecnologias, gerenciamento de projetos, finanças e gestão de talentos.

No entanto, mesmo que uma empresa não tenha acesso a dados externos, ela ainda pode realizar o benchmarking. Segundo a IFC, International Federation of Accountants, mesmo quando não se tem acesso a dados externos, ainda há benefícios ao realizar a comparação com o desempenho passado da própria organização. Isso porque o benefício do benchmarking geralmente não vem de uma grande mudança em um KPI, mas sim de pequenas mudanças incrementais nos KPIs da empresa ao longo do tempo.

Benchmarking na prática

Um grande desafio ao realizar o benchmarking é organizar e exibir os dados de uma forma prática e que permita, de fato, realizar as comparações necessárias. Ferramentas como o Tableau auxiliam as empresas, governos e instituições a organizarem seus dados de forma a facilitar a realização do benchmarking. Um exemplo prático de organização de dados realizada com esse intuito pode ser visualizado na imagem a seguir:


Painel com novos indicadores de saúde disponibilizados pelo governo da França
Painel com novos indicadores de saúde disponibilizados pelo governo da França

A imagem apresenta um painel desenvolvido no Tableau para realizar benchmarking de indicadores de saúde e qualidade de vida de diversos países europeus. Trata-se de um painel interativo onde é possível selecionar quais países se deseja comparar os indicadores, obtendo uma análise histórica da evolução de cada um deles ao longo dos anos.

Alimentado por dados fornecidos pelo governo da França, este painel está disponível para consulta na página de exemplos públicos do Tableau. Você pode se inspirar neste e em outros painéis para realizar o benchmarking na sua organização.