O benchmarking é usado por diversas organizações para melhorar o desempenho de uma maneira sistemática e lógica. Ele estabelece um ponto de referência que permite às organizações realizarem avaliações comparativas que auxiliam na melhoria de produtos e processos. Conheça agora os principais tipos de benchmarking utilizados no mercado.

Os principais tipos de benchmarking

Há basicamente dois tipos primários de benchmarking:

  • Benchmarking interno: quando a comparação de práticas e desempenhos são realizadas dentro da própria organização, envolvendo áreas, equipes ou até mesmo indivíduos
  • Benchmarking externo: quando a comparação de práticas e desempenhos é realizada entre organizações distintas, dentro ou fora de um mesmo segmento de atuação

O benchmarking externo pode apresentar variações de acordo com seu propósito específico. Instituições como a Endeavor e a OSHAcademy classificam o benchmarking externo em três tipos distintos, sendo eles:

  • Benchmarking competitivo
  • Benchmarking funcional
  • Benchmarking genérico

A seguir, serão detalhados os principais tipos de benchmarking, suas aplicações nas organizações e uma breve análise de pontos positivos e negativos que cada um dos tipos de benchmarking apresenta.

Benchmarking interno

Como apresentado anteriormente, este tipo de benchmarking tem como parâmetro o desempenho interno da própria organização. Esse talvez seja o exemplo de benchmarking mais comum e mais praticado. Uma rede de exames laboratoriais, por exemplo, pode realizar o benchmarking interno do nível de satisfação dos clientes em suas lojas. Ao identificar a loja que possui o melhor desempenho, cria-se uma referência de atendimento ao cliente para as demais.

Esse exemplo de benchmarking é relativamente fácil de ser implementado e pode ser adotado por organizações de qualquer segmento. Nesse caso, não há a necessidade de grandes investimentos e a implementação pode ser feita rapidamente, uma vez que as informações necessárias circulam dentro da própria organização. Outro benefício que este tipo de benchmarking proporciona é o compartilhamento de informações da empresa de forma organizada, favorecendo uma compreensão mais profunda dos processos internos e do próprio produto ou processo em questão.

Contudo, o grande risco deste tipo de benchmarking é o viés interno das informações, podendo não produzir as melhores comparações de desempenho. Há também o risco de que as comparações internas instiguem uma competitividade indesejada, comprometendo o clima organizacional.

Benchmarking competitivo

Esse tipo benchmarking é focado em realizar uma comparação direta com os demais concorrentes da organização. Trata-se de uma comparação direta dos produtos, serviços, processos ou posicionamento dos concorrentes. As empresas do setor automotivo possuem áreas específicas, conhecidas como Teardown, que desmontam os carros das empresas concorrentes e analisam peça a peça, buscando entender as inovações de produto que estão sendo aplicadas. O interessante é que algumas dessas empresas criam parcerias com os próprios concorrentes, compartilhando veículos e até mesmo know-how.

Esse exemplo de benchmarking competitivo é interessante pois oferece uma oportunidade de conhecer melhor a concorrência ou mesmo combinar forças contra outro concorrente em comum. No entanto, há muitos desafios na implementação desse tipo de benchmarking que devem ser considerados pelas organizações. É necessário ficar atento às questões legais, à confiabilidade das informações obtidas de empresas concorrentes é até mesmo se precaver para não se expor demasiadamente, revelando informações que futuramente poderão ser usadas contra a própria empresa.

Benchmarking funcional

Neste exemplo de benchmarking, a comparação é realizada entre organizações de segmentos distintos. O foco é voltado para a análise de práticas semelhantes comuns, respeitando as especificidades de cada segmento.

A indústria automotiva, por exemplo, possui um processo de validação de softwares embarcados que é semelhante aos processos de validação de software adotados pelas indústrias do segmento aeronáutico. Ambos segmentos anseiam pela excelência nos processos de teste de software para validação de protótipos, implementação de protocolos de segurança, entre outras funções. Como a tecnologia usada na aeronáutica é mais avançada, muitas empresas do segmento automotivo realizam o benchmarking funcional com as empresas do segmento aeronáutico. Uma grande vantagem deste tipo de benchmarking é o contato com as novas tendências e tecnologias, promovendo inovações e melhorias significativas nos processos da organização.

Entretanto, é importante estar atento aos desafios que este exemplo de benchmarking possui. Empresas de segmentos distintos possuem culturas organizacionais diferentes ou possuem processos muito específicos. Desta forma pode ser difícil encontrar funções comuns que possam ser devidamente comparadas para que se obtenha os resultados desejados.

Benchmarking genérico

No benchmarking genérico, o grande objetivo é ser inovador e obter insights que possam resultar em uma melhoria incremental ou disruptiva. Trata-se de um processo de comparação mais amplo, podendo ser feito entre empresas do mesmo setor ou de setores distintos. Os resultados deste tipo de benchmarking geralmente trazem uma conceituação ampla obtida por um estudo cuidadoso de um processo genérico que funciona muito bem na empresa de referência.

Muitas empresas que pretendem implementar uma área de sucesso do cliente fazem o benchmarking genérico dos processos criados pela Disney. Conhecida como a fábrica de sonhos de Walt Disney, a Disneylândia promove um verdadeiro fascínio em seus clientes e se tornou um exemplo mundial de como promover ações que transformam clientes em fãs. Uma análise cuidadosa dos processos de atendimento ao cliente na Disneylândia permite que empresas realizem uma conceituação ampla de como elas poderão reproduzir estas ações em sua própria realidade.

Este tipo de benchmarking amplia a visão da organização trazendo novas perspectivas, além de gerar um grande estímulo à inovação. No entanto, pode ser muito difícil identificar quais são as melhores organizações a serem comparadas, e uma aproximação das empresas que são referências globais pode ser inviável, uma vez que as mesmas são extremamente requisitadas em função de seus êxitos.

Benchmarking na prática

Entender os tipos de benchmarking é um passo importante para as organizações que visam aplicar esta metodologia para melhorar o desempenho de seus processos e produtos. Independentemente do tipo de benchmarking usado, todos eles irão apresentar pontos positivos e negativos.

É importante lembrar que além do tipo de benchmarking a ser escolhido, as pessoas interessadas em colocar na prática esta metodologia precisarão também ficar atentas a outros desafios, como a gestão de dados, cruzamento de informações e exibição de resultados. Por isso, recomenda-se sempre utilizar ferramentas de Business Intelligence apropriadas para este fim, como o Tableau por exemplo. Essas ferramentas acabam economizando muito tempo na hora de organizar e exibir as informações obtidas em qualquer um dos tipos de benchmarking escolhido.

Com o conhecimento e as ferramentas certas, o próximo passo é buscar a excelência integral em sua organização, usando o benchmarking como um parâmetro para indicar as melhores práticas a serem adotadas.