VMware sobre o Tableau Drive: “Uma estratégia nova deixa as pessoas empolgadas com os dados”


A VMware, com sede no Vale do Silício, é uma empresa de fornecimento de virtualização e estrutura de nuvem. A empresa tem mais de 18.000 funcionários e cerca de 500.000 clientes espalhados pelo mundo inteiro.

No vídeo 1, a gerente de BI e análises, Ginger Victor, explica como usar o Tableau para análises visuais está ajudando a VMware a sustentar seu ritmo de crescimento acelerado – e a se preparar para crescer ainda mais.

No vídeo 2, Ginger fala sobre os benefícios da adoção da metodologia Tableau Drive para implantar business intelligence de autoatendimento.

Isso foi uma mudança de paradigma para nós em relação ao caminho que queremos seguir. Queremos que a equipe de TI se concentre mais na parte estratégica principal... Queremos que a empresa tenha mais autonomia para fazer as análises de que precisa.

“Uma estratégia nova deixa as pessoas empolgadas com os dados”

Tableau: O uso do Tableau está crescendo rapidamente na VMware. Como a metodologia Tableau Drive ajudou?
Ginger Victor, gerente de BI e análises: A inovação deu um salto, aumentou muito, e eu acho isso ótimo. É nessa direção que queremos seguir.

Nossa empresa cresceu muito nos últimos cinco anos. Quando éramos menores, era possível ter alguns setores da organização gerando seus próprios relatórios, fazendo suas próprias análises, utilizando planilhas nos processos.

Mas precisamos crescer, continuar crescendo e sermos capazes de escalonar nossas informações. Também precisamos poder analisar os negócios de outras formas para termos certeza de que estamos crescendo em vários sentidos diferentes.

Nós costumávamos usar outras ferramentas de BI. Temos milhares de relatórios que geramos em algumas das ferramentas próprias da empresa, mas a verdade é que elas não eram muito utilizadas. Então, identificamos as organizações que realmente queriam participar dessa primeira implantação do Tableau.

Tableau: Há quanto tempo vocês estão trabalhando com o Tableau?
Ginger: Há aproximadamente seis meses, e já temos cerca de 300 usuários e mais de 30 grupos. Implementamos dois servidores.

Tableau: E como as coisas estão indo?
Ginger: Estou muito feliz com a montanha de solicitações que recebemos de pessoas que querem colocar seus projetos em produção, ter mais pessoas acompanhando o processo e dar mais visibilidade às soluções que elas estão desenvolvendo.

E é impressionante ver como o número de solicitações aumentou, agora que essas pessoas estão tendo uma experiência diferente com as informações. Agora tenho acesso a várias outras coisas que antes não podia analisar dessa forma.

As pessoas querem mais e mais visualizações de dados e têm começado a recusar certas coisas de uma perspectiva comercial, dizendo: “Não quero mais ver essas informações em PowerPoints, não quero mais usar planilhas”.

É dessa forma que eu quero que a empresa comece a pensar nas informações.

Tableau: Qual foi o fator principal para essa transformação?
Ginger: Acredito que muito se deve à flexibilidade e à capacidade que essas pessoas agora têm de fazer análises rapidamente, eliminando aquele processo longo e frustrante de criação de requisitos e de design que, de tão demorado, tornava a solução obsoleta quando ela era finalmente implementada.

Conheço minha empresa agora, sei como estamos nos saindo hoje. As pessoas realmente querem usar o Tableau para obter informações a que nunca tiveram acesso antes.

“Uma mudança de paradigma para a empresa e a equipe de TI”

Tableau: Como você descreveria o impacto do Tableau Drive?
Ginger: Isso foi uma verdadeira mudança de paradigma para nós em relação ao caminho que queremos seguir. Queremos que a equipe de TI se concentre mais na parte estratégica principal, os dados da empresa, garantindo que as ferramentas estejam funcionando bem e oferecendo suporte.

Queremos muito também que a empresa tenha mais autonomia para fazer as análises de que precisa. Assim, ela pode se concentrar mais no estado final e nas análises, e não em gerenciar dados e informações.

O trabalho da nossa equipe de TI está mais voltado agora para o que realmente importa e o que precisa mudar, e a empresa tem liberdade para identificar o que ela quer e fazer as análises necessárias para seus negócios; e ela está fazendo isso em tempo real. Na minha opinião, esse é o verdadeiro motivo de trabalharmos com um processo de SDLC menos convencional.

É como ligar os pontos para as pessoas. Queremos ter certeza de que estamos ajudando no trabalho delas, fornecendo práticas recomendadas, padrões e nos concentrando em capacitá-las para que elas sintam que podem desempenhar bem suas tarefas

Tableau: O que mais mudou desde a adoção do Tableau?
Ginger: Para mim, a maior diferença é a empolgação que estou vendo em todas as organizações, e precisávamos disso. Não podíamos continuar pregando o que estávamos fazendo e as ferramentas que já usávamos nas organizações. Acho que o melhor de tudo é que implantar o Tableau e trazer algo tão empolgante e empoderador para a empresa tem sido uma forma de começarmos de fato a testemunhar essa mudança de paradigma que queríamos para a empresa.

Você também pode gostar de...