Joe Radburn, de apenas oito anos de idade, passa muitas de suas segundas-feiras “trabalhando com dados”. Ele é um participante assíduo do Makeover Monday, um exercício semanal de recriação de visualizações de dados.

“Meu pai baixa os dados, e eu tenho mais ou menos 20 minutos para criar algo legal com eles. Quando eu fico satisfeito com o resultado, mostro para o meu pai”, conta ele.

Joe passa algum tempo explorando os dados, revela seu pai, o Mestre Zen do Tableau, Rob Radburn. Depois, seu pai o ajuda a arrematar a visualização com alguns toques finais na formatação, normalmente ajustando cores ou aumentando fontes.

“Ele já domina o processo iterativo. Arrasta e solta todas as dimensões e medidas para a exibição, as analisa e remove o que não quer usar”, explica.

Rob conta que Joe identifica sozinho os padrões nos dados, e então pede ao pai para explicar o que significam.

“Isso aconteceu, por exemplo, com o gráfico de caixa. Ele viu um padrão nos dados e perguntou: ‘O que isso significa?’, e eu respondi: ‘Isso mostra que está ficando mais caro ir para a universidade na América’”.

Tudo começou quando Joe viu seu pai participar do Makeover Monday.

“Joe gosta de matemática, computadores e de mim (espero), e essa atividade engloba tudo isso. Ele me viu criando uma visualização e quis participar”, explica Rob.

Rob fez uma breve demonstração de como o Tableau funcionava, mostrando como arrastar e soltar e como usar o recurso Mostre-me, e passou o mouse para o Joe. Por estar bastante familiarizado com o computador, graças ao Minecraft, Joe aprendeu em dois tempos.

Ele já criou 18 visualizações e até encontrou um estilo próprio.

“Gosto dos mapas de árvore com as caixas, porque você pode comparar os tamanhos e ver qual é o maior”, explica. “Também gosto dos gráficos de bolhas.”

A fonte preferida de Joe é a Comic Sans. Ele também gosta de dar seus toques pessoais, como as estrelas que adicionou à sua visualização sobre a presença de mulheres no poder legislativo dos EUA.

“Gosto muito dessa visualização, porque, quando você clica em uma estrela, ela realça a barra correspondente”, explica Joe.

Mas Joe aprendeu muito mais do que brincar com o design. Ele até mesmo deu ao seu pai, um Mestre Zen, algumas dicas de uso do Tableau.

“O Joe me ensinou que também era possível arrastar e soltar uma linha de referência para removê-la de uma planilha, além do recurso de clicar com o botão direito do mouse na linha e selecionar a opção Remover”, conta Rob. “Eu postei um GIF no Twitter. A maioria dos usuários não conhecia essa possibilidade.”

Rob diz que nunca ensinou o processo de iteração ao filho; Joe aprendeu sozinho.

“Não houve necessidade. O software permite que ele faça isso sozinho”, conta. “É maravilhoso! Ele está criando visualizações interessantes só com o recurso arrastar e soltar, sem fazer nenhum cálculo. Isso mostra como você pode descobrir boas histórias com os dados, sem muito esforço.”

Rob acredita que Joe está se saindo tão bem porque ele se concentra apenas nos dados, e não se preocupa com mais nada. Sem complicar.

“Ele não fica pensando demais. Eu fico remoendo o que fiz antes e, por ser um Mestre Zen, acho que preciso fazer cada vez melhor. Ele não tem esse tipo de preocupação. Apenas mergulha nos dados”, afirma Rob.

Joe diz que gosta do Makeover Monday, porque toda semana tem um conjunto de dados diferente e “você nunca sabe com que tipo de dados vai trabalhar”.

Ele também está muito feliz de fazer parte da comunidade do Tableau. Cada vez que Joe cria uma visualização, ele envia um tweet com ela para Andy Kriebel, cofundador do projeto, e as respostas de Andy são sempre incentivadoras. Joe fica ansioso por essas conversas, comenta Rob.

“Às vezes, ele tem mais retweets do que eu, o que é incrível”, revela Rob. “Isso só mostra como a comunidade é maravilhosa: até uma criança de oito anos é capaz de se sentir parte dela!”

Joe pretende participar de pelo menos metade dos Makeover Mondays deste ano.

“Eu gosto muito, e estou ficando cada vez melhor no design e aprendendo a fazer coisas diferentes para melhorar nessa parte”, diz.

“Demoramos só meia hora, não ficamos horas fazendo isso. E é muito gostoso trabalharmos juntos", declara Rob.

Para conferir outras visualizações criadas por Joe, visite a página do perfil dele no Tableau Public.

Convidamos pais e filhos para participar do nosso grupo para crianças que adoram dados. Inscreva-se aqui para solicitar acesso

Comentar